CHRIS FRANCINI

Como usar Parka (ou parca) neste inverno!

ModaChris FranciniComment

A parka é um dos componentes da tendência militarista que nos acompanha há muitas temporadas. É uma das peças mais fáceis de ser usada no inverno e pode ser encontrada em tecidos leves, para ser usada como terceira peça. Até os mais pesados, possibilitando sobreposições mais quentes, dependendo do lugar que estiver. 

O padrão do casaco é largo, comprido (abaixo do quadril) e com elásticos, alguns contém capuz, outros não. Vocês já devem ter visto uma variação de parkas no street style das principais semanas de moda: Bordadas, com patches, grafite ou lisa. Vamos falar desta última opção?!

Tradicionais e versáteis, as versões lisas podem ser uma ótima opção para substituir as bombers que foram sucesso no inverno passado.

Para não errar, prefira camisetas soltinhas ou até as t-shirts estampadas que estão super em alta! Um jeans rasgado, uma mini saia ou shorts vão deixar a produção mais descontraída.

Nos pés, aposte em uma bota de cano baixo, sapatilha e quem sabe um tênis bordado para dar um toque mais feminino. Vocês gostam? 

Abaixo vocês encontram algumas opções de onde encontrar:

[Looklink - Widget Vitrine #58525 - BEGIN ...... END]

Alguns dos meus looks com a parka militar:

Consultoria de Moda e Estilo em São Paulo

CursosChris FranciniComment

Estão abertas as inscrições para o próximo Curso de Consultoria de Moda e Estilo em São Paulo!

Este curso é aberto para profissionais da área, para quem pretende seguir a carreira de consultor, lojistas, estudantes de moda ou curiosos pelo tema.

O que abordaremos? A importância da imagem pessoal, o conhecimento dos tipos físicos e estilos femininos, coordenação de peças, contrastes de cores, como montar sua mala de viagem, os princípios da profissão e muito mais.

Datas:
19, Sexta-feira | 19h às 21h30
20, Sábado | 10h30 às 18h
21, Domingo | 11h às 17h30

Como participar? Envie um e-mail para chris.francini@crossnetworking.com.br e te explicaremos como fazer. Espero por vocês!

São Paulo Fashion Week N43 - 5° Dia

SPFWChris FranciniComment

RATIER

No último dia de SPFW, o inverno da Ratier traz inspirações da Romênia e no misticismo da região. O preto predomina a coleção, que traz um ar misterioso e sexy, em tecidos que vão do couro ao veludo molhado. Fica aparente que o estilista pensou em um desfile noturno, por isso, optou por peças longas e camadas. A marca apostou também no conforto de quem usa, mas com complementos mais carregados, como franjas, rendas e acessórios.

A. NIEMEYER

Em sua ótima estreia na semana de moda, a grife apresentou um trabalho incrível de handmade, que apesar do maior desenvolvimento, a coleção é bem leve e delicada para o inverno. A alfaiataria esportiva tem um caimento excelente. Linha confortável e chique, para usar desde o escritório até ocasiões mais casuais. Os meus três looks preferidos são em branco e off white, mas opções de marrom, laranja e até azul compõe a coleção nesta temporada.

AMAPÔ

Que o jeans é carro-chefe da Amapô todo mundo sabe, mas como se reinventar tantas vezes e fugir do comum? No inverno 2017, a marca escolheu retratar os problemas do Brasil com referências do mundo circense. Ou seja, macacões, jeans desconstruído, peças oversized, além das calças que ganharam uma versão estilo “palhaço”. Outro bloco do desfile que chamou atenção foram os looks pretos com metalizado, com modelagem ampla.

LAB

Na segunda coleção apresentada no SPFW, a marca mostra seu amadurecimento em diversos sentidos. O tema escolhido para o inverno foi o samba, com um mood “malandro”... Calças retas, fluidas, chapéu e jaquetões. Os conjuntos continuam bem esportivos, mas ganham um toque especial, a mistura do street com o vintage. A novidade é que os looks pretos iniciais, dão espaço para as cores e detalhes coloridos a partir dos bordados feitos à mão pela mãe dos fundadores da marca, Emicida e Leandro Fióti. Eles mostram o valor do trabalho handmade que a mãe faz desde pequena. Quem comprar a peça, não terá só os bordados, mas as histórias por trás de tudo. 

São Paulo Fashion Week N43 - 4° Dia

SPFWChris FranciniComment

A LA GARÇONNE

Primeiro desfile do dia, com a sala lotada, a coleção une o universo fetichista de Alexandre com a fase mais garimpada da ALG. Um mix de peças produzidas à mão com um estilo underground que vem de outras épocas. A apresentação forte e marcante teve um resultado positivo imediato, e mostra que a imagem da dupla veio para ficar. A marca ainda conta com diversas parcerias de sucesso, entre elas: os coturnos com a Hardcore Footwear, as peças conceito e comercial com a Hering, tênis customizados Vans + A La Garçonne, e a última, e uma das minhas preferidas, os acessórios de Hector Albertazzi, inclusive as bolsas estampadas e com cordas, que amo!

COTTON PROJECT

Conforto é a palavra que vem à cabeça quando falamos da Cotton, e é essa a proposta da marca para o inverno 2017, estar bem vestido e confortável ao mesmo tempo. Para isso, a coleção conta com peças de algodão, seda, veludo. A alfaiataria surge bem casual e em cores clássicas que vão do preto, branco até a mistura de tons quentes. Atenção para o laranja e amarelo, pontos de cor para a estação, usados com delicadeza.

MAISON ALEXANDRINE

Mais uma estreia na temporada, a grife teve sua coleção assinada por Dinho Batista. Ao contrário de outros desfiles, a marca optou por uma modelagem mais alongada e clean, sem excessos. Vestidos longos e curtos, justos e fluídos com recortes estratégicos. A transparência ganhou aplicações de fitas de cetim, como se estivessem trançadas. Adorei, elegante e sensual! O estilista (pelo mesmo durante o SPFW) e assessor pessoal de modelos famosas como Isabeli Fontana e Carol Ribeiro, ainda contou o segredo de ser uma coleção tão especial, ele homenageou as mulheres importantes de sua vida, dando o nome de cada uma as suas produções.

JULIANA JABOUR

Ao se inspirar no universo de motocross, a estilista une o estilo esportivo e de atitude, com uma segunda parte, mais romântica, de rendas e babados. Uma coleção com diversas peças-desejo invadiu a passarela com um styling esperto e toque moderno. A combinação do leve e pesado é sempre bem vista pelas marcas, e Juliana investiu em diferentes opções: jaqueta de couro + vestido de tule, calça esporte com camisa victoriana e outras misturas que deixam a coleção bem atual e divertida! Nas cores, predominam o preto e branco, com estampas em vermelho, azul e amarelo.

AMIR SLAMA

Nesta temporada, o estilista em uma coleção bem viva e que lembra o filme “Flashdance”, sim impossível assistir ao desfile e não pensar nos anos 80, biquínis de diferentes formatos, inclusive asa delta, e muitas tiras. As cores do beachwear são vivas e ganham um toque metalizado. O ponto alto da marca, foi a campanha contra o assédio feita junto com o Estadão, em que a modelo teve a frase “Me visto como eu quiser”, escrita no corpo com uma tinta que aparecia apenas com flash.

TIGRESSE

O último desfile do dia ficou para a estreante TIG (ou ainda chamada de Tigresse). Em sua nova fase, a marca faz também o equilíbrio do leve e do pesado com tendências que vão das passarelas ao nosso armário.
Muita transparência, renda, paetês, metalizados, geralmente na cor preta. Uma mistura dos anos 80 e 90, quando inicia a fase de rebeldia e extravagância, que hoje já não assusta e está cada vez mais nas lojas. 

O que acharam? Confiram aqui os desfiles do primeiro, segundo e terceiro dia.

Beijos, Chris.

São Paulo Fashion Week N43 - 3° Dia

SPFWChris FranciniComment

GIULIANA ROMANNO

O maior desafio das marcas e estilistas é correr contra o tempo, sempre se atualizando com as informações de moda. Em uma temporada, o melhor caminho é escolher um foco e segui-lo adaptando novas tendências. Nesta coleção, Giuliana optou pela mulher em sintonia com o guarda-roupa masculino, ou seja, pegar uma peça do namorado/marido e trazer para o seu estilo. A famosa desconstrução do smoking faz parte desta proposta, é saber usar a peça, como se usa uma saia ou vestido. Sua cliente é uma mulher de atitude.
Amei a alfaiataria feminina, com diversos recortes e fendas, além de muito brilho. Muitas produções contam com camisas de seda e lurex, tendência que continua em muitas marcas.

ISABELA CAPETO

O Cariri cearense serviu como inspiração para a coleção da marca, que apresenta a mulher moderna e atualizada, que usa todas as estampas e tendências. Destaque para o conjunto estampado, combinado com um trench rosa! Este tipo de mistura é um exercício de informação de moda e atual! Nas cores, muito rosa, navy (vermelho e azul marinho), preto e outras.

MEMO

Nesta temporada, a marca se uniu ao universo fashion de Lilly Sarti para uma coleção esportiva e minimalista. Inspiradas em esportes como tênis, ski e outros menos tradicionais, as peças são bastante femininas e ainda contam com babados e volumes estratégicos. Na cartela de cores, circula o preto, off white, azul marinho, bordô e cinza, tons sóbrios e preferidos para a estação. Além do tecido estratégico e moderno, a MEMO investiu em conjuntos confortáveis e fáceis de transitar da academia para o dia a dia.

FABIANA MILAZZO

Em sua estreia no SPFW, Fabiana Milazzo apresentou uma coleção inspirada no Brasil. A fauna, paisagens e arquiteturas foram reproduzidas por diversas ONGs recrutadas pela própria estilista, ou seja, é mais do que falar do país, é falar de quem faz e como faz... O grande trabalho à mão feito por profissionais com seus diferentes estilos de produção. No desfile, um mix perfeito de peças casuais e moda festa, adorei a forma que a usam o jeans, oversized combinado com roupas leves, traz um equilíbrio perfeito. 

APARTAMENTO 03

Em mais uma edição, a marca se inspirou em um livro, desta vez “Visconde partido ao meio”, de Ítalo Calvino. Uma mistura grande de tecidos, destacando-se o uso de peças pesadas x leves tomou conta das passarelas. Destaque para os looks de veludo e listras brilhantes, tendência vista em outros desfiles, com uma pequena diferença, Apartamento 03 fez com que os tecidos pesados parecessem mais leves.

ELLUS 2nd FLOOR

De volta ao universo dos quadrinhos, a marca se inspirou na Mulher Maravilha, ou na desconstrução dela. Um ar mais pop, muitas peças metalizadas e o símbolo da heroína compõem looks desejo com parkas, minissaias e vestidos, que ganharam um perfil mais lúdico. Destaque para as bolsas enviesadas com tiras grossas que ganham a característica da personagem, além das estrelas da bandeira americana.

Confira aqui os desfiles do primeiro e segundo dia da semana de moda de São Paulo.

Beijos, Chris Francini.