CHRIS FRANCINI

PFW - 5º e 6º dias

Chris em Paris, Chris Francini, Consultoria de Moda, Conteúdo da Chris, Dica da Chris, Escolhas da Chris, Fashion, Moda, Marcas, Paris, Paris Fashion Week, TendênciasChris FranciniComment

       Elie Saab: Conhecido pelos seus suntuosos vestidos de noite, o estilista optou por ter as rendas e o esporte como temas para esta coleção, sem deixar o estilo feminino de lado. Trouxe para o verão, blusões de seda listrados de várias cores. Destaque para os vestidos curtos e longos de renda, com uma paleta de cores que vai do branco e preto ao floral que ficou lindíssimo estampado sobre o tecido de renda!

       Mugler: Militarista suave puxado pro navy! É a melhor frase para descrever a coleção que a marca trouxe para a passarela. Destaque para assimetrias em alfaiataria com regatas brancas por baixo, couro preso por emblemas militares de metal, que formavam um top de um vestido com muita pele de fora, além de muitos recortes vazados, que deixam a mulher bem sexy! 

       Nina Ricci: Com tons de verde escuro, mostarda e ferrugem, a estilista deixou um pouco de lado a mulher tão feminina e delicada dos florais e tons de rosa, trazendo uma mulher fashion, vulnerável e sensual. Usou como referência a atriz austríaca Romy Schneider, juntamente com as qualidades orgânicas da cor verde com foco na textura. Destaque para os tecidos com cara de amassados e as penas implantadas em alguns vestidos, inspirados na década de 1990, período sombrio da moda grunge seguido pela alfaiataria minimalista.

       Kenzo: Com um ar dos anos 60, destacam-se a sandália bota recortada e os bodies de tela, que tornam a garota de 2016 com muita informação de moda e atitude. No armário, para essa estação, vai ter muita saia curta, calças amplas, blusas batas estruturadas e vestidões. A coleção é recheada de um patch de tecidos cheio de textura e cores, que estampam em formas geométricas a maior parte das peças desfiladas,

       Alexander Mcqueen: Flores e transparências dominam o verão 2016 da marca com belos vestidos de alfaiataria feitos de algodão, cheios de babados em cascata em todo o corpo, com uma paleta de rosa pálido, coberto de flores e laços esfarrapados. Inspirada pelos tecelões de seda do século 17 de Spitalfields, que se estabeleceram em Londres, trazendo sementes e bulbos em seus bolsos para crescer. Eram jardineiros e teciam suas flores para os padrões franceses em suas sedas. Por isso da escolha minuciosa dos detalhes de flores em cada peça da coleção!

       Celine: As peças que tomam conta da passarela nesta estação, são os vestidos-camisola com muita renda, que deixa de ser só acabamento para fazer parte dos vestidos, trazendo uma leve transparência. Também apresenta ótimos casacos e túnicas, além de blusas e vestidos ovalados que ficam entre camisolas antigas dos anos 80.